domingo, 7 de agosto de 2011

Amani - entrevista na RaqsART

Por Yuki RaqsART

tradução de Lalitha

Artigo original aqui.


1. Por que você começou a dançar Dança Oriental?

Eu me formei em Sociologia e em Estética. Entrar no mundo artístico foi um sonho que se tornou realidade.

Quando eu lia os livros antigos sobre o oriente e sua história, eu me imaginava dançando nessas histórias e eventos históricos. Eu sonhava com a dança, em ser capaz de incorporar essas visões numa apresentação de dança na minha mente.

Minha paixão pela Dança foi um portal luminoso para uma cultura histórica.

2. O que é mais importante quando dançamos em público?

A coisa mais importante que você precisa manter em mente quando dança em público é ter respeito e dignidade pela sua dança e por si mesma. Melhor evitar qualquer movimento degradante para você e para sua dança. Por exemplo:

  • Evidenciar vulgarmente o seu bumbum quando você fizer um círculo grande com o quadril.
  • Balançar seus seios de forma indecente ao invés de fazer um shimmie de ombro elegante.
Esses movimentos foram adicionados ao vocabulário da dança oriental mais tarde, por bailarinas que preferiam depender da expressão da sua sexualidade de forma explícita do que na qualidade artística do que poderiam mostrar. Para manter a dignidade dessa arte, nós todas devemos ter cuidado para não passar a impressão errada para o público.

Quando você vir qualquer movimento que você acha que vai degradar a sua imagem, não os adicione ao seu vocabulário. Tenha uma visão crítica do que você faz. A sua dança deve ser um reflexo da sua personalidade, não da de outra pessoa.

Se você tiver alguma dúvida, por menor que seja, pare e reflita.

"Devo aceitar pessoas que acham que são representações da minha personalidade? Devo aceitar tais movimentos, como mostrar meu bumbum para o público num círculo com o quadril ou balançar meus seios vulgarmente?

"O que será que eu pensaria se visse uma mulher fazendo esses movimentos sem música?

"É permitido mostrar movimentos que normalmente não são respeitosos em público só porque tem música e batidas?"

O que nós fazemos é que decide o caminho por onde a dança se desenvolve. Vamos trabalhar juntas:

  • para abolir os movimentos estranhos adicionados recentemente ao vocabulário da dança oriental, e
  • fazer a dança oriental evoluir sem perder a sua autenticidade e estética.
Trabalhando de mãos dadas nós podemos mudar o cenário atual da dança no mundo todo.


3. Você poderia nos falar sobre o seu estilo de Dança Oriental?

Um estilo pessoal de dança pode ser dividido em duas partes: Estética e Técnica.

Estilo Pessoal de Estética Inteligente

Novamente, cada estilo reflete a personalidade do artista. Questões intangíveis são difíceis de explicar. Tudo o que posso dizer é que quando eu vejo uma coreografia executada pelo(a) próprio(a) coreógrafo(a) eu entendo a sua lógica, criatividade e percepção, o quão transparente ele(a) é.

É por isso que eu digo que a minha dança revela a minha personalidade.

Tecnicamente Inteligente

Amani acredita que a Dança Oriental é uma arte por si só. Ela pode expressar, como qualquer outra forma de arte, tudo o que você quiser.

O estilo de Amani simplesmente enfatiza um ângulo diferente de trabalho corporal e de expressão, não apenas o trabalho de quadril e pequenos movimentos dos braços.

Ela trabalhou no aprimoramento da arte nessa dança:

  • Deu uma nova dimensão teatral. Ela trocou do estilo cabaré pelo teatro.
  • Ela aumentou o vocabulário da dança, introduzindo e adicionando novos passos influenciados pela  arquitetura árabe e outras influências árabes.
  • Ela trabalhou filtrando os diferentes estilos de dança oriental, tais como: Andaluz, Histórico, Moderno etc... e Folclórico, para que o público pudesse difenciar melhor entre eles.
  • Ela apresentou danças no formato de histórias contadas, utilizando o vocabulário da dança oriental.
  • Amani, no seu panorama de dança, dança, atua e canta no palco quando a obra assim impõe, como se pode ver nos seus shows "Batta", “Tabiloulha”, “Ammouna fi Al Saiid”, “Jamilat el Mamalik” etc
  4. Você poderia nos contar sobre a relação entre a Dança Oriental e as suas origens?

Referindo e relacionando com a pergunta anterior sobre o meu estilo, e com a minha resposta que reflete sobre a relação entre a personalidade e o estilo, não posso separar ou distinguir entre a minha dança e as minhas origens, pois ambos são uma só. Se eu não tivesse vivido na minha cultura oriental, minha dança e meu estilo teriam tomado um caminho totalmente diferente.


6. Quem é a sua bailarina ideal? Porque você gosta dessa bailarina?


Existem muitas bailarinas cujo trabalho eu aprecio muito, como:
  • Samia por sua graça
  • Naima Akef por sua criatividade
  • Katty por sua energia
  • Nadia pela execução
  • Najwa por sua perseverança
  • Maima Mokhtar pelas sensações que passa com a música
  • Nabawiya Mostapha pela sua maravilhosa técnica de quadril
e muitas muitas mais.


7. Quais são os seus planos futuros com a Dança Oriental?


O Amani Oriental Festival é o plano principal. Como uma bailarina de destaque interessada e que depende do desenvolvimento e da preservação da Dança Oriental, da sua natureza e suas características, do refinamento do panorama atual da dança no mundo, eu acredito que é minha missão tomar medidas sérias que visem esses objetivos, começando com workshops que juntem o maior número possível de bailarinas orientais num só trabalho organizado, onde nós possamos harmonizar e destilar a essência e o conteúdo dessa arte. Portanto, eu abro as portas para professores de todo o mundo (nossos professores convidados) que queiram participar do Festival.




8. O que é mais importante na hora de criar uma coreografia?

Quando você ama a música, você certamente terá uma visão. Quando você faz alguma coisa com amor e com o estado de espírito certo você se inspira... essa inspiração te leva aos primeiros passos de uma boa coreografia e a ser criativa.


9. Como e/ou com quem você pratica?

Eu pratico sozinha. Quando estou me preparando ou ensaiando para um show eu trabalho com a minha companhia de dança.


10. Como bailarina, que métodos ou rotinas diárias (produtos de beleza, massagens etc) você utiliza para manter a sua beleza?

Eu bebo muita água, como chocolate e sorvete, sou quase vegetariana. Durmo bem. Não bebo nem fumo. E finalmente, acredito no Nosso Criador, a fonte do amor e da paz. 

11. (Dizem que a Dança Oriental é mais relaxante e desestressante que outros tipos de dança) qual parte da Dança Oriental você acha que é mais relaxante?

Legal ouvir isso! Para mim qualquer coisa que se faça com amor traz relaxamento e felicidade, no fim você se sentirá preenchida pelo seu trabalho. A parte mais relaxante na minha dança são os aplausos da platéia e a sua alegria.




    Um comentário: